OS FAMOSOS BATEAUX MOUCHES DE PARIS

Eles podem ser vistos deslizando pelas águas do River Seine, o famoso divisor que corta Paris, e também em outros canais pelo mundo. Chamados de bateaux mouches, os barquinhos já fazem parte da paisagem local desde o tempo da Exposição Universal, que agitou a capital francesa nos idos de 1867 com uma proposta futurista e desenvolvimentista.

Construídos para servirem como meio de transporte para passeios cênicos, adorados por turistas, estes barcos navegam por águas calmas, sempre com o convés aberto, ou com uma cobertura transparente, para que os navegantes possam desfrutar do passeio e ter uma boa visão da paisagem.

A origem do nome

Em tradução, bateau-mouche quer dizer barco-mosca em português, e a invenção do termo remonta, mais uma vez, à época da Exposição Universal. Após ganhar um concurso, o construtor naval Michel Félizat projetou o design destes barcos turísticos, e como morava em Lyon, mais especificamente no bairro La Mouche, daí o nome!

Mas naquela época o turismo não era massivo, e depois da guerra os barcos acabaram perdendo espaço para outros meios, como metrô e transporte terrestre. Foi Jean Bruel, contudo, quem deu vida ao potencial turístico dos bateaux-mouches depois de comprar alguns últimos exemplares da época da Exposição Universal, e já em 1950 lançou a Compagnie des Bateaux Mouches.

batorama-bateau-mouche-quai-serin-lyon

Bateau-mouche na ville de Lyon

A lenda

Seu pensamento empreendedor era tão criativo que Jean Bruel criou uma personagem mítica chamada Jean-Sébastien Mouche, que se apresentou, no mundo da fantasia, como o criador dos bateaux. De acordo com essa empreitada, um jornalista do Le Monde, Robert Escarpit, escreveu uma biografia fictícia do Monsieur Mouche. Oui! Tudo para atrair o público, que mal podia sonhar com o engenheiro naval Michel Félizat, homem que realmente projetou tais embarcações…

A imaginação foi longe e ele até projetou um busto de Jean-Sébastien Mouche especialmente para a inauguração de seu novo modelo de bateau, na presença do ministro dos transportes, do prefeito e de todo o grupo artístico e cultural da época.

Os bateaux hoje

Bem mais confortáveis e silenciosos, o passeio no clássico bateau mouche de hoje tem ares uma experiência completa: enquanto navegam, os turistas escutam o guia turístico narrar a história de Paris e de seus monumentos. Há também barcos projetados para serem verdadeiros restaurantes, recebendo eventos especiais e festas. O que permanece é a identidade histórica inabalável, que já se valeu da ousadia de um empreendedor para criar sua fama e atrair, até hoje, milhares de turistas e flâneurs que querem ver Paris de outro ângulo.

QUER MAIS?

Agora que você conhece tudo sobre os bateaux mouches, você gostaria de conhecer outras coisas sobre a cultura francesa e muito mais?  Você gostaria de aprender a comunicar em francês também?!
Conheça o curso da Aliança Francesa Araraquara, que vai te ensinar a língua e a cultura francesa! Seu francês vai decolar!

Você irá aprender de uma forma rápida e definitiva a se comunicar em francês (seja você alguém que nunca teve contato ou que já tenha feito aulas). Entre em contato! Clique

Comentários encerrados.